SEJA BEM VINDO EM NOME DE JESUS.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

SOBRE EXODUS E ÊXODO

Assisti ao filme Exodus no sábado (3-01-15). Seguem algumas coisas que não condizem com as escrituras:

– Deus é um menino,
– Moisés é um general que discute com Deus e quer fazer guerra contra o Egito,
– O cajado de Moisés é entregue a Gérson (seu filho) e este utiliza uma espada para abrir o mar vermelho,
– O mar vermelho não abre, a maré abaixa, mas mesmo assim sobe para afogar os egípcios.

O filme é longo, mas prende a atenção até o final. Achei um bom filme. O Batman foi muito bom como General Moisés, gostei muito de sua atuação. É uma releitura liberal do texto, mas ainda assim vale a pena ver. É incomparavelmente melhor do que Noé de Hollywood.

Voltando ao texto original:

– Deus nunca apareceu no Antigo Testamento como um menino. Vemos Deus como um menino no nascimento de Cristo. No aparecimento a Moisés, a representação da presença de Deus é a sarça ardente (símbolo da IPB),
– As dez pragas são enviadas para confundir os egípcios humilhando os seus deuses e mostrando que O SENHOR é o verdadeiro Deus,
– Moisés não se acha capaz de libertar o seu povo e já tinha 80 anos de idade quando houve a libertação,
– Moisés não vai ao Egito como um general, mas como pastor de rebanho, sem armas e com um cajado,
– Deus é quem enviou cada uma das pragas avisando Faraó antes de cada uma delas, e este sempre tinha seu coração endurecido,
– Deus não mata os primogênitos do Egito como vingança. Ele apenas diz que o juízo viria aquela noite e que todos aqueles que não tivessem sobre suas portas o sangue do cordeiro, teriam a punição que mereciam. Sem dúvida, Deus não mataria nenhum inocente, todos que morreram naquela noite receberam apenas o que mereciam,
– O mar vermelho se abriu e o povo passou com pés enxutos, e as águas eram como paredes de um lado e do outro,
– Deus guiou o seu povo pelo deserto direcionando-os, sustentando-os e mostrando-os sua lei, que é perfeita.

A Libertação da Escravidão do Egito tem como último ato a morte dos primogênitos e o sacrifício dos cordeiros para a salvação de Israel. Assim, o povo que antes era escravo se torna livre por meio do sangue do cordeiro. Egito em hebraico significa terra de escravidão.

Aproximadamente mil e trezentos anos depois, o Cordeiro de Deus vem ao mundo para ser sacrificado a fim de tirar a humanidade da escravidão do pecado. Por meio de Cristo, as cadeias que nos prendem ao mau, são quebradas. Ele é quem veio para trazer a real libertação para nós.

Por Daniel Simoncelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário