SEJA BEM VINDO EM NOME DE JESUS.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

QUAL A DIFERENÇA ENTRE IMAGENS E ÍDOLOS?

O problema da adoração é que esta se dá no coração. Quem está ajoelhado diante de uma imagem está adorando. Como a verdadeira adoração é interior, só podemos vê-la através da manifestação física. O ato de ajoelhar-se é a manifestação exterior mais visível e detectável de uma adoração interior. Outras manifestações são beijos, acenos, preces, homenagens, velas, romaria, posição de destaque, etc.

O diabo sabia disso quando pediu que Jesus se ajoelhasse aos seus pés e o adorasse (Mt 4). O apóstolo João apenas prostrou-se aos pés do anjo, e este disse: "Não faças isso. Adora a Deus" (Ap 22.8-9). Tais passagens confirmam que o fato de ajoelhar-se é um sinal de adoração, pelo menos, o sinal mais característico.

Ídolo: "Estátua ou simples objeto cultuado como deus ou deusa. Objeto em que se julga habitar um espírito, e por isso venerado. Pessoa a quem se tributa respeito ou afeto excessivos" (Dic. Aurélio). Portanto, uma estátua, imagem ou retrato podem ser ou não cultuados como ídolo, como um deus ou uma deusa.

Uma figura esculpida de Rui Barbosa não é cultuada como ídolo. Diante dela ninguém se ajoelha ou faz qualquer gesto que represente ou indique uma adoração (pedidos, cânticos, procissão, coroação, etc). Da mesma forma, os retratos de nossos entes queridos já falecidos são guardados como lembrança. Ninguém os trata como ídolos (ajoelhar-se, fazer pedidos, confiar que possam atender nossos pedidos, carregá-los em procissão, etc).

Usar imagens de escultura com esse objetivo, o de adoração, é que constitui idolatria. Não me parece válido o argumento de que se trata de uma simples veneração, uma lembrança de uma pessoa mui amada, etc. Se uma pessoa acusada de prestar culto a uma imagem resolvesse mostrar como deveria fazer
para que acusação valesse, o que ela faria? Iria colocar a imagem numa redoma; colocar flores aos seus pés; acender velas para a imagem; fazer pedidos; cantar hinos em seu louvor; carregar a imagem pelas ruas, ajoelhar-se diante dela, etc. Ora, tudo isso é feito.

O ato de visitar o jazigo dos mortos, colocar flores ou fazer outras coisas não se configura uma adoração, mas um gesto de carinho, manifestação de amor e de saudade.

O caso de "servir" pode-se entender como trabalhar em prol de, ou prestar serviço a. A Bíblia recomenda "não as servirás" com relação às imagens (Êx 20.5). Elas são servidas quando agimos como seus servos: carregando, enfeitando, coroando, iluminando, dispensando tempo na sua contemplação etc.

Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário